Blog, SEO, Visitantes Qualificados,

O que provavelmente nunca te contaram sobre SEO

Por Jean Vidal em 26 de outubro de 2016
Algumas informações reais de otimização não são divulgadas. Assim, apresentamos alguns pontos para melhorar o debate sobre SEO. Confira!
Leitura de 6 minutos
O que provavelmente nunca te contaram sobre SEO
5 (100%) 4 votes

Ainda existem muitas dúvidas sobre SEO e arrisco a dizer que sempre existirão. Como o processo de ranqueamento orgânico nos buscadores está em constante evolução, é comum vermos novas orientações e boas práticas nascendo (e matando conceitos antigos).\

Contudo, mesmo para quem estuda SEO, frequenta eventos do segmento ou faz cursos sobre o assunto, observei, conversando com essas pessoas, que algumas informações reais de Otimização não são divulgadas. Assim, no artigo de hoje, apresentamos alguns pontos para melhorar o debate sobre o tema. Aproveite!

1. Em SEO, o AdWords vem primeiro

Pode parecer que vamos puxar a corda para o lado de que você deveria apostar todas as suas fichas em Google AdWords, por ter um certo controle sobre o posicionamento (mesmo que em determinados casos pague muito caro para manter uma posição do anúncio), mas não é nada disso.

O que muitas pessoas do setor esquecem é que, antes de começar um processo de SEO, você deve testar a keyword no AdWords. Com esse teste, é possível ver como funciona a taxa de conversão atual (ou se tem que resolver um problema aqui) e, acima de tudo, entende qual público será alcançado. Assim, descobre-se se vale investir em um projeto de SEO para aquele termo.

AdWords e SEO são complementares, não inimigos. Saber usar o AdWords para pequenos testes que validam a importância de otimizar determinado termo é essencial em uma boa estratégias de SEO.

2. Existem “agências” para destruir SEO

Você se empenha, faz o dever de casa e, em uma forte competição, leva anos para atingir uma determinada posição. Eis que um dia, os números ficam lindos, parece que você ganhou na loteria diante de tantos visitantes e conversões acontecendo “naturalmente”.

Só que, de repente, as coisas podem mudar. Você imediatamente pensa que foi uma atualização no código dos buscadores, mas não ouve falar nada sobre o assunto. Investigando melhor, pode se deparar com uma série de “erros de SEO” que aconteceram recentemente. Mas, como surgiu isso?

Em determinados casos, não tão raros assim, você poderá ser “vítima” de uma agência de SEO negativo. Não tão comuns no Brasil, mas muito fortes lá fora, existem empresas que são especialistas em detonar o SEO para uma posição.

Em 2015, tivemos um ataque para uma keyword que gerava mais de 6 mil visitantes por dia para um determinado cliente. Do dia para a noite, os 12 mil visitantes totais por dia do site foram reduzidos pela metade. O que aconteceu? Mandaram visitantes “robôs” para o site, só o suficiente para deixá-lo lento, mas sem derrubar o servidor. Além disso, geraram mais de 600 links em lugares “pobres” e errados, entre outras pequenas táticas.

Você pode estar se perguntando se não existe alguma ação de segurança que podia ter sido realizada. Até existem algumas soluções, mas são caras e para clientes de maior porte. É válido citar também que o próprio Google está aprendendo como identificar e lidar com esses casos de SEO negativo. Mas, mais uma vez, é válida a orientação de que você não deveria apostar todas as suas fichas em uma única frente de Marketing Digital.

3. Não existem garantias de posicionamento

Esse ponto, para quem estuda SEO, já é batido, mas precisei trazer para o debate para fomentar que ainda muitos “profissionais” vendem o SEO como uma solução que irá garantir a primeira página ou posição nos buscadores.

Ainda que, eventualmente, possamos ter uma opinião avaliando um projeto versus concorrentes, ela ainda é uma opinião. E, se você que está adquirindo um projeto de SEO, estiver comprando por conta de uma posição, cuidado, é bom provável que novos fatores entrem em jogo, indiferente da experiência da sua agência de SEO.

Existe um processo (que é até simples quando analisado de longe) que garante bons posicionamentos e que poderíamos resumir em 4 elementos principais:

1. Quantidade de conteúdo que você produz;

2. Qualidade do seu conteúdo;

3. Sucesso que o seu conteúdo faz com sua audiência;

4. Autoridade do seu domínio.

Observe que está diretamente ligado ao conteúdo, por isso indico a leitura sobre Marketing de Conteúdo, e como ele pode ser comparado com Combustível e Palco de Teatro.

4. Você deveria ter uma Epic Page ao invés da keyword no domínio

Outro ponto importante e, de certo modo, ligado a um pensamento iniciante de SEO (ou velhas práticas) é o fato de acreditar que, se tiver a keyword na url principal do meu site, aumentaria as chances de ficar melhor ranqueado.

É como se nosso site precisasse ser www.conexoramaagenciadeinboundmarketing.com.br

Na prática, não é bem assim. Você pode ter um nome bem estranho, que nada tem a ver com a palavra principal do seu negócio, e estar bem posicionado para o seu termo. Aqui, a interpretação estará ligada aos elementos citados no item anterior.

Sendo uma palavra importante, você deveria optar por criar uma “Epic Page”, que vem do conceito de Epic Text, e é uma página com foco em explicar tudo sobre aquele assunto, com conteúdo denso e explicativo, como a página sobre Inbound Marketing da Resultados Digitais e outra sobre Marketing de Conteúdo.

5. Conteúdo deve ser revisto e ampliado sempre

Que você deve ter um rotina de criação de conteúdo, que esse conteúdo não pode ser copiado de outros sites, e que o seu tamanho e qualidade farão a diferença, você já sabe, contudo, o que muitos esquecem é que o conteúdo pode e deve ser revisado, ampliado e melhorado sempre.

Em outras palavras, umas das principais ações de SEO é voltar nos artigos antigos do seu site (e páginas), buscando formas de ampliar e melhorar o que foi produzido.

Uma “tática” é usar um software para monitorar o posicionamento das palavras-chave do seu SEO e tomar uma medida conforme ganham ou perdem posições.

 

imagem_artigo

 

Por exemplo, você pode conferir no sistema que, no nosso exemplo, 55 palavras-chave ganharam posições e, assim, melhorar a linkagem interna para que essas páginas continuem ganhando força. Ou ainda avaliar as 51 palavras que perderam posição e avaliar cada caso otimizando o conteúdo.

E você, tem algum ponto de SEO que nunca é debatido? Compartilhe conosco nos comentários. Se você leu pelo menos um ponto que nunca tinha ouvido falar, aproveite e compartilhe nas suas redes sociais 🙂

Você gostou do nosso artigo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Jean Vidal

Jean Vidal

CEO e Growth Hacker em Conexorama
Atuo há mais de 14 anos com Marketing Digital, tendo participado do nascimento da Resultados Digitais. Tenho experiências como Gerente de Ecommerce e participei diretamente na implantação de mais de 100 projetos de Inbound Marketing.
Jean Vidal
  • Vitor – VRX Consultoria em TI

    Excelente artigo!

    • Obrigado @vi@vitorvrxconsultoriaemti:disqus 😉