Blog, SEO, Visitantes Qualificados,

5 práticas de SEO Black Hat que você pratica sem saber

Por Content em 28 de abril de 2017
Vamos aqui mostrar cinco práticas de SEO Black Hat que você faz (ou pode estar fazendo) e provavelmente nem desconfia. Confira!
Leitura de 6 minutos
5 práticas de SEO Black Hat que você pratica sem saber
5 (100%) 5 votes

Quando a Google estava nos seus primeiros passos, o seu sistema de ranqueamento não era nada complexo. Brechas nos fatores de ranqueamento permitiam que sites chegassem às primeiras posições no buscador, não importando o nível de qualidade do conteúdo oferecido ou a relevância daquilo para o usuário. E, com o tempo, truques que se aproveitavam dessas possibilidades eram chamados de SEO Black Hat.

Neste artigo, veremos como essas técnicas funcionam e listar cinco delas que você ainda pratica, sem perceber. Confira!

SEO Black Hat: de onde surgiu

Dentre as diversas práticas de SEO possíveis, existem dois conjuntos de técnicas que separam o joio do trigo: as Black Hat e as White Hat. Os termos remetem aos bons e velhos filmes de faroeste, onde o mocinho vestia chapéus brancos e os vilões trajavam chapéus pretos.

Como no Velho Oeste, as White Hats representam o bom SEO – técnicas honestas, as preferidas pelos mecanismos de busca. Já as Black Hats são as práticas obscuras, vistas como trapaças de otimização, para alcançar sucesso nas pesquisas com mais facilidade.

Como falamos, o Black Hat fazia uso de aberturas nas regras do ranqueamento para posicionar melhor sites sem muito esforço. Hoje, o ranking da Google é atualizado cerca de 500 a 600 vezes ao ano – com mudanças drásticas, ocasionalmente, que podem colocar o ranqueamento de cabeça para baixo, como aconteceu com o Google Panda e o Google Penguin. À curto prazo, você pode ter resultados positivos com estratégias Black Hat. Mas no futuro, é certo seu site será punido por isso. Às vezes, até sem você saber o motivo.

Veja agora cinco práticas de SEO Black Hat que você faz e (provavelmente) nem desconfia:

1. Keyword Stuffing

As palavras-chave tem uma função importantíssima para o conteúdo que você cria, elas serão o norte para definir a relevância do que você escreve e sobre o que você está falando. No entanto, é um costume ainda recorrente de alguns praticantes de SEO em amontoar palavras-chave sem critério, tirando coesão e relevância do conteúdo em questão. O valor considerado ideal, tratando-se de densidade de palavras-chave, é de 2% a 4%. Qualquer coisa acima desse valor tem chances de ser  penalizado pela atualização Panda do Google, feita em 2011.

2. Repetição de conteúdo

“Plágio” talvez seja uma palavra que soe forte demais, mas se você copiou trechos de outras páginas – mesmo que para fins de referência – provavelmente você será punido pelo algoritmo do Google. Seja original na criação de seu Marketing de Conteúdo e, se necessário, use links para esses locais e deixe que os próprios leitores procurem o que foi dito.

3. Spam de comentários

Seus comentários em um grande número de blogs, sites, fóruns e redes sociais devem contribuir para a discussão, não só para deslizar o link da sua página. Em 2005, o Google introduziu o atributo nofollow que, quando codificado, instruiu rastreadores web a ignorar links como esses, enquanto indexavam os sites.

Ainda assim, profissionais que trabalham com SEO ainda aplicam esse tipo de técnica, que realmente é efetiva por um certo tempo. Mas como toda sorte de Black Hat, se a Google encontrar você, ela vai puní-lo. Vale a pena o risco?

4. Guest blogging

Esta é uma área um pouco “enevoada”, para dizer o mínimo. Trazer posts de convidados pode ser bom para o SEO – e ainda pode trazer mais links para seu site. No entanto, guest posting com o único intuito de construir links em sites de baixa qualidade ou irrelevantes podem atravancar seu ranqueamento, o que não é aprovado pelo Google ou por usuários em si.

5. Links quebrados dentro de seu site

Seu conteúdo muda de lugar a todo instante? Fique de olho nos links internos. Quando um usuário clica em um link que leva a lugar nenhum, é um sinal de fumaça para o Google aplicar sanções em seu ranking.

Grandes empresas penalizadas por Black Hat

Pequenas companhias, médias empresas, organizações multinacionais. Ninguém está seguro das penalidades brutais e ágeis da Google, independente da intenção ou não em transgredir as regras. Veja alguns dos casos mais notáveis nos últimos anos:

BMW punida por manipular resultados de busca

A gigante automobilística foi punida por manipular resultados de busca. Em fevereiro de 2006, sempre que o termo “used car” era buscado, o usuário era redirecionado para a página da empresa quando ele clicava pelos resultados. Durante três dias, o site foi completamente retirado da lista do buscador. Isso resultaria hoje num prejuízo de 71 mil acessos.

Genius e a promoção artificial de links

Em dezembro de 2013, a página ainda se chamava Rap Genius na época e ofereceu promoção artificial de links para blogueiros que postassem letras de música. A Google não permitiu que a página fosse ranqueada pelo seu nome e reduziu sua posição no ranking. Se isso ocorresse hoje, significaria uma perda de cerca de 3,8 milhões de acessos.

Até eBay já teve uma punição manual

Misteriosamente, em 2014, a página de vendas sofreu uma queda no ranqueamento e uma punição manual, sem explicações tanto da Google, quanto da própria eBay. Mais de 6 milhões de acessos deixariam de ser computados, caso isso acontecesse hoje.

Proteja seu negócio: invista em práticas de SEO White Hat

Você pode ser seduzido pelo caminho mais fácil – até porque realizar uma otimização de qualidade é complicada, tendo em vista que os próprios critérios da Google são subjetivos e de variação constante. Porém, o sucesso de técnicas de SEO Black Hat é ilusório. Com a competitividade dos mercados de hoje, é preciso muita criatividade e, sobretudo, estratégia para ultrapassar a concorrência.

Se você quer investir na longevidade de seu negócio na Internet, não existe outra opção: coloque seus esforços em SEO White Hat. Afinal, independente do que os mecanismos de busca atualizem em seus algoritmos, com isso sua estratégia online estará sempre preparada, pois é autêntica e orgânica.

Resultados de White Hat – e do Inbound Marketing em geral – não são do dia para a noite, mas valem cada segundo.

E você? Já aplicou alguma dessas estratégias? Procurou saber se eram positivas ou não? Compartilhe com a gente! 🙂

Você gostou do nosso artigo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Content

Content

Artigo produzido pela nossa equipe de Content Marketing.
Content