Blog, SEO,

[Tendências de SEO 2018] Alcançando a primeira página do Google

Por Penélope Vitória em 10 de janeiro de 2018
Neste artigo, vamos conferir um pouco sobre o que vai bombar no SEO e como você pode usar isso ao seu favor. Confira!
Leitura de 8 minutos
[Tendências de SEO 2018] Alcançando a primeira página do Google
5 (100%) 6 votes

O Marketing Digital nunca deixará de mudar. Quando falamos em SEO, a premissa não é diferente e as mudanças nos algoritmos são quase que semanais (a grande maioria delas nós nem ficamos sabendo).

O trabalho do profissional de SEO é investigar e ser orientado por testes todo o tempo. É como um cientista em um laboratório chamado Google. Até porque nunca tivemos tantas mudanças no buscador como nos últimos 2 anos.

Existem fortes indícios de que, em 2017, updates bem ligados ao aprimoramento dos resultados, como “Panda”, “Fred” (qualidade do conteúdo) e “Maccabees”, tenham acontecido. Isso deixou ainda mais rigorosa a avaliação e, por consequência, a classificação nas SERPs.
Se em 2017, tivemos um ano muito centrado no conteúdo, então o que podemos esperar para 2018 no Google? O que devemos fazer para lutar por lugares nas primeiras páginas do buscador? Acompanhe este artigo e conheça as tendências!

LSI (Indexação semântica)

Tudo começou com a atualização do Hummingbird, em 2013. A partir de então, o Google começou a focar bem mais no conteúdo, não tendo mais palavras-chave como foco central. Agora não importa mais o que você diz no Google, mas sim, como você diz.

Nesta época, o intuito do Google era barrar as manipulações e dar prioridade aos sites que geravam valor para os usuários. Assim nasceu a LSI, que passou a mapear os reais desejos das buscas, levando em consideração o contexto em que os termos estavam inseridos, além de seus sinônimos, classes gramaticais, as “famílias” das palavras, o histórico de pesquisas e até a localização do usuário.

Atualmente, se buscarmos por um mesmo termo no Google, dificilmente dois de nós terão os mesmos resultados. A não ser que um computador seja utilizado comunitariamente, por muitas pessoas ao mesmo tempo.

Como usar isso a favor?

Quando você escolher uma palavra-chave, jogue o termo no Google e observe os principais resultados para a palavra-chave que você escolheu. Leve em consideração os termos no rodapé da SERP, o uso de sinônimos, os títulos dos resultados do topo e incorpore tudo isso ao escrever.

Se estão ali, com certeza existe uma razão. Não se esqueça de escrever sempre respondendo perguntas. Se o texto é sobre um problema, resolva o problema dentro do texto – ou ao menos dê ferramentas para isso. O Google perceberá o valor.

Otimização de keywords em massa

Essa prática já existe há algum tempo, mas acreditamos que vai se tornar muito mais popular em 2018. Foi-se o tempo em que se otimizava uma página para uma única keyword. Sim, você ainda precisa escolher uma palavra-chave principal, mas pode otimizar a sua página para várias. O único limite é o contexto: ou seja, você só não pode forçar a barra.

Como usar isso a favor?

A otimização de keywords em massa anda de mãos dadas com a rotina de evergreen content (a constante atualização de conteúdos). Primeiro, você precisa saber para quais keywords relevantes o seu conteúdo ranqueia e listá-las.

Após isso, você começa a escrever focando nestas keywords, que não devem ser empregadas de forma exata, mas sim, em forma de derivações (O crawler, que agora trabalha semanticamente, entenderá facilmente a relação).

Métricas que a Machine Learning está de olho

O CTR é mais valorizado do que nunca

Com a evolução do buscador, surgiram ferramentas que “concorrem” com os resultados orgânicos. Me refiro a anúncios, featured snippets, resultados em carrousel, entre vários outros elementos incorporados atualmente às páginas de resultados.

Bem, se existe maior concorrência, então por que o fator CTR está em alta? Porque se, mesmo todos estes “obstáculos”, alguém clicar no seu resultado orgânico, isso significa que ele realmente é relevante (Ou que você fez um título muito f&$%&$!).

Com a implementação da Machine Learning no buscador, o Google não só percebe quando uma página se sobressai nas SERPs, como também aprende com isso. E o seu aprendizado se manifesta em forma de ranqueamento.

Como usar isso a favor?

Tente fazer a melhor “porta de entrada” de todos os tempos. Aposte em Rich Snippets (breadcrumbs, sitelinks, local search, reviews e em um título + meta descriptions matadores). Em suma, faça com seja irresistível clicar no seu link.

Dwell Time (Tempo na página)

Assim como o CTR, o tempo na página é uma métrica bem estimada pelo aprendizado de máquinas. É com base no tempo que um usuário passa conferindo um conteúdo – claro, considerando o que a página possui – que o Google perceberá/aprenderá sua importância para os usuários.

Se um conteúdo tiver um bom CTR e, por consequência um bom Tempo na Página, não existem dúvidas de que o Google irá olhar a página com bons olhos. Percebe que precisa haver uma proporção entre CTR e Dwell Time?

É como uma engrenagem: uma só funciona com o sucesso da outra!

Como usar isso a favor?

Faça um conteúdo incrível, escaneável e que faça o usuário pensar: “Obrigado por ter me trazido até aqui, Google!”.

Se você quiser saber mais sobre as métricas de Marketing de Conteúdo, confira este artigo completo sobre o assunto.

Mobile-First Indexing

Muita gente vai dizer que esta tendência existe há muito tempo, já que é quase uma obrigação empírica ter sites otimizados para mobile. Mas, quando falamos que Mobile-First Indexing é uma tendência para 2018, estamos falando de um anúncio oficial do Google.

Já tem data marcada para acontecer o momento em que o Google dirá: “Se você não tem um site responsivo, eu sinto muito, mas você não é bem-vindo à minha casa”. Passará de diferencial para formalidade, entende?

Essa aqui é uma primeira necessidade. Anote aí!

Busca por voz

Você fala como escreve? Eu duvido muito. Eu, escrevendo este artigo, estou me esforçando para que você possa imaginar que estamos conversando e, de fato, pode até funcionar bem, mas nunca será a mesma coisa.

Quando você faz uma busca por voz, você fala de uma maneira muito diferente. Qual o resultado disso no nosso contexto? Primeiramente, uma incidência muito grande de Long tails. Esqueça a utilização de termos secos e exatos e foque em responder dúvidas com a sua página.

tendências de SEO 2018 voz

Como usar isso a favor?

Se alguém quer um restaurante em Florianópolis e utiliza o recurso de voz, provavelmente fará a pesquisa dizendo algo, como: “Google, onde eu almoço em Florianópolis, no centro?”.

Se você tem um restaurante, pode utilizar uma locução, assim: “Almoce com buffet livre no restaurante italiano no Centro de Florianópolis”. Voilá!

Don’t forget it: Aposte cada vez mais em Rich Snippets!

SERP Domination

SERP Domination é uma prática já bem conhecida, que consiste em escolher um termo muito relevante para o negócio e dominar a página de resultados do termo com várias páginas do seu site.

Os profissionais de SEO costumavam – e ainda costumam – aplicar esta prática utilizando o blog e outras páginas de um mesmo site. A novidade é que agora você pode e deve fazer isso de uma maneira um pouquinho diferente. Confira algumas dessas possibilidades:

SEO no YouTube

Chegou a hora de termos uma conversa séria com você. Podemos saber o porquê de você não estar presente no segundo maior buscador do mundo? Tempo de produção de conteúdo? Recursos financeiros? Falta de planejamento?

Eu sei que tudo isso pega, mas você não pode mais ignorar o YouTube em 2018. Principalmente se o seu público foi majoritariamente jovem e o produto/serviço seja “informal”. Que o YouTube é do Google você sabe, né? Isso quer dizer que criar bom conteúdo por lá e otimizá-lo é a mesma coisa que conquistar o coração do Google – isso se você já trabalhar bem para ele.

Imagine que os seus produtos são t-shirts de seriados. Você já tem um blog legal sobre notícias dos seriados e críticas e já conquistou o topo para alguns termos importantes pelo seu blog. Imagina criar um conteúdo fantástico no YouTube e conseguir posicionar seu vídeo na SERP também? Não tem pra ninguém!

Olha só, se você decidir apostar em SEO no YouTube em 2018, eu tenho um artigo que vai te ajudar a dar o ponta-pé inicial.

Google News

Vamos supor que você é um revendedor de produtos Google, por exemplo. Existem dezenas de milhares no mundo, assim como você. Mas e se você criasse um conteúdo único, muito completo e em formato de notícia, sobre uma atualização do G Suite?

Você pode enviar esse conteúdo para o Google News e se cadastrar na plataforma. O Google seleciona as principais notícias e as exibe em formato de destaque, conforme vê abaixo:

tendências de SEO 2018 news

2018 promete, você não acha? Pelo jeito, teremos mudanças bem grandes por aí. No final de 2017, já começamos a sentir alguns impactos. Muita coisa do que eu falei pode mudar? Sim. Tudo vai depender do Google, ou melhor, do mundo inteiro em relação ao Google.

Como ainda não temos capacidade de ler a mente da maioria dos seres humanos, por que não ficamos de olho nas atualidades, nos acontecimentos mundiais, no comportamento das pessoas e trazemos isso para o trabalho de SEO? O fator humano é o porte de ouro, nunca se esqueça disso.

Esperamos que o artigo tenha sido útil e que os seus resultados bombem em 2018. Se tiver qualquer dúvida, manda para cá!

Você gostou do nosso artigo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Penélope Vitória

Penélope Vitória

Head Of Planning em Conexorama
Apesar de formada em Design Gráfico, sempre fui aficionada por comunicação. Quando conheci o Marketing Digital, soube que ele veio para ficar. Estou sempre em movimento e absorvendo conhecimento. Posso dizer que sou uma “engraçadinha” com um grande apetite!
Penélope Vitória