Analisar, Blog, Inbound Sales,

O que são Métricas de Vaidade em Marketing Digital

Por Jean Vidal em 21 de agosto de 2015
Métrica de Vaidade faz a estratégia de Marketing Digital afaste-se das métricas que realmente significam resultado de negócio. Entenda mais!
Leitura de 6 minutos
O que são Métricas de Vaidade em Marketing Digital
5 (100%) 11 votes

Se as Métricas do Negócio mostram quando você está (ou não) no caminho certo, as Métricas de Vaidade fazem você se sentir como se estivesse nesse caminho, mas na realidade não significam nada.

Elas podem até fazer bem ao ego, tornar os responsáveis pelo Marketing como referências, mas não necessariamente se traduzem em aumento de receitas, lucros ou clientes. Muitas vezes nos fazem tomar conclusões precipitadas ou, até mesmo, nenhuma conclusão.

Por isso no artigo de hoje, vamos entender os motivos que levam os bons profissionais de Inbound Marketing a evitar justificar o seu trabalho a partir das Métricas de Vaidade. Conheça mais!

O que são as Métricas de Vaidade?

Para esse conceito, vai ficar mais fácil de entender se ilustrarmos com uma história.

Digamos que alguém tenha sido parado numa blitz. O policial se aproxima, percebe que o motorista está embriagado e dá uma bronca:“Você não sabe que 23% dos acidentes são causados por pessoas sob efeito do álcool?”

O motorista, na hora, responde: “Quer dizer que os outros 77% de acidentes são feitos por pessoas sóbrias? Você devia ir atrás delas!”

Pode parecer engraçado, mas muitos empreendedores pensam justamente assim, especialmente a respeito de métricas de vaidade, com uma ideia enviesada do que realmente importa para ser assertivo de suas ações de Marketing. Veja alguns exemplos (que vão mudar seus conceitos) de onde elas se refletem:

Visitantes

O número de pessoas quase sempre vai aumentar – se você divulgar seu negócio de alguma forma. Em outras palavras, seu tráfego é relevante, mas como apenas uma parte de uma equação muito maior.

Seguidores no Twitter

Justin Bieber possui mais de 95 milhões de seguidores no Twitter. Mas quantos deles são realmente usuários ativos e reais da rede social? Bom, o TwitterAudit mostra:

Twitter Justin Bieber
De fato, isso não afeta em nada a carreira do cantor – 36 milhões de pessoas reais é bem significativo. Mas também compreendemos como credibilidade e popularidade podem ser confundidas.

Likes no Facebook

Sejam em sua página ou em posts, o que mais engana empreendedores é o número de likes. O que eles não sabem é que, hoje, a segmentação granular paga do Facebook se tornou confiável e relevante, para acertar exatamente aquelas pessoas que procuram o que você vende.

Você não precisa mais atirar para todos os lados, e portanto, a necessidade de um número gigantesco de pessoas que têm contato com seu post não define o seu sucesso.

Mas quando ainda utilizamos as Métricas de Vaidade?

Todos esses pontos não significam que estas métricas são inúteis. Na verdade, elas possuem algumas finalidades importantes, tais como:

1. Métricas de Vaidade podem preencher tempo

A maioria dos resultados que o Marketing de Conteúdo oferece demora um tempo para começar a aparecer, mas as pessoas que estão investindo nessa estratégia nem sempre são as mais pacientes do mundo. Para isso que servem as métricas de vaidade: acalmar os nervos enquanto as métricas reais ainda não geram resultados.

2. Métricas de Vaidade podem indicar resultados positivos

Querendo ou não, ainda são métricas. Talvez não indiquem que você está atingindo seus objetivos finais, mas fornecem evidências de que você está fazendo algo com repercussão.

As métricas de vaidade são associadas a resultados positivos, sendo assim, é melhor acompanhá-las do que não ter likes no Facebook ou que os seus únicos seguidores no Twitter sejam os próprios funcionários da sua empresa. Um número significativo de seguidores é, pelo menos, um indicador de que você está disponibilizando algo que as pessoas estão interessadas.

Métricas Acionáveis: o que devemos buscar lá na frente?

Apesar de que, no começo, as métricas de vaidade são relevantes para perceber que a engrenagem já começou a girar, elas vão se tornando rapidamente rasas. Os seus objetivos que devem dar o tom de seu planejamento de marketing, metas a serem buscadas para que, a partir delas, você saiba que métricas observar, como elas interferem e o que você pode fazer para impulsioná-las.

Para isso, existem métricas acionáveis – aquelas que você pode anexar a tarefas específicas e repetitivas as quais você pode otimizar, para se aproximar ainda mais de seus objetivos.

De modo geral, os pontos abaixo são algumas dessas medidas que você, invariavelmente, deve ter em mente quando seu negócio já estiver em um estágio mais avançado de maturidade empreendedora:

  • Tempo de retenção de clientes
  • Lucros
  • Taxa de churn (de evasão ou rotação de clientes)
  • Receita por cliente
  • Custos de uma boa venda
  • Impacto

Esses sim são fatores que mexem com o sucesso de sua empresa e que você pode, com a ajuda de todas as outras métricas, incrementar por meio de suas ações de Marketing. Isso sem falar em métricas de Ads (publicidade paga), que são totalmente diversas.

Por que todos são influenciados por essas métricas?

Se você atua com Marketing Digital, seja na sua empresa ou para clientes, observará rapidamente o quanto todos cuidam dessas métricas. Mesmo explicando tudo o que passamos aqui neste artigo, os interessados ainda ficam muito contentes com um número atingido de likes no Facebook, sem saber ao certo o motivo disso.

A grande verdade é que essas métricas mexem com o núcleo “accumbens”, uma região do cérebro que é responsável pelo “sistema de recompensa”. Quando fazemos algo agradável (como saciar uma vontade de comer algo ou até fazer sexo) o sistema libera dopamina, um neurotransmissor de prazer, que ocorre para que o cérebro entenda o quanto comer ou se reproduzir é bom e, portanto, vital para nossa sobrevivência.

Em 2013, um estudo da Universidade Livre de Berlim reconheceu uma ligação entre ganhar likes e esse mesmo sistema. Cada “curtida” recebida é encarada pelo cérebro como uma aceitação social e, assim, é liberado em alguma proporção a dopamina.*

Portanto, entender os motivos que levam a gostarmos tanto de likes é importante para que possamos focar nas métricas do funil, planejar ações que aumentem o número de visitantes do nosso site, de forma que se tornem Leads qualificados, que virem oportunidades de vendas e, finalmente, clientes.

Calcule o ROI (Retorno sobre investimento), o CPL (Custo por Lead) e o CPA (Custo por aquisição) da sua empresa e foque seus recursos para melhorar estes resultados, e não a quantidade de likes da sua página do Facebook.

*Esse estudo foi divulgado na revista Super Interessante, da editora Abril, edição 348, junho de 2015, com o tema de capa “O lado negro do Facebook”

Gostou do nosso artigo? Fale com a gente nos comentários, queremos ouvir sua opinião!

Você gostou do nosso artigo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Jean Vidal

Jean Vidal

CEO e Growth Hacker em Conexorama
Atuo há mais de 14 anos com Marketing Digital, tendo participado do nascimento da Resultados Digitais. Tenho experiências como Gerente de Ecommerce e participei diretamente na implantação de mais de 100 projetos de Inbound Marketing.
Jean Vidal