*Como fazemos, Blog, Pipedrive, RD Station,

RD Station x Pipedrive: como e quais as vantagens de unificar as ferramentas?

Por Jean Vidal em 4 de julho de 2018
Confira os detalhes sobre como integrar o RD Station e o Pipedrive e quais as vantagens de unificar essas duas ferramentas!
Leitura de 6 minutos
RD Station x Pipedrive: como e quais as vantagens de unificar as ferramentas?
5 (100%) 2 votes

Se você acompanha os nossos conteúdos, já deve ter reparado que falamos muito aqui sobre RD Station e sobre o Pipedrive. Não é à toa, afinal, além de serem duas das principais ferramentas de Marketing e Vendas, elas juntas podem fazer a diferença nos resultados da sua empresa.

Por isso, no artigo de hoje, vamos mostrar os detalhes sobre como unificar essas duas ferramentas e como nós as utilizamos aqui na nossa agência e para nossos clientes. Confira!

1 – Como integrar RD e Pipe: detalhes da configuração

A integração entre as duas ferramentas é bem simples, você precisará do acesso nas duas e do Token de integração.

Na prática, você pode ir por dentro da ferramenta da RD (em Integrações) e depois no CTA “Pesquisar Integrações”, como mostramos no print abaixo:

Mas é o mesmo que vir na Central de App do RD e pesquisar Pipedrive. Ali, em detalhes, você entrará na ficha do Pipe e poderá usa o botão “adicionar integração”.

Quando usamos o botão, voltamos para o RD e aqui a primeira informação que pedirá é o Token do Pipedrive. Token é um dispositivo eletrônico gerador de senhas.

Para pegar no Pipe basta ir nome do seu usuário (no avatar) e depois em “ajustes” e no item “Outro API”). É essa sequência de números que precisamos copiar e colocar lá no campo da integração no RD.

Pronto, passamos do primeiro passo da integração e agora temos mais três etapas simples antes de finalizar a integração. Primeiro configurar que tipo de Leads o RD vai mandar pro Pipe.

Ou seja, se irá mandar “marcados como oportunidade” ou “convertidos”. Na prática, essa divisão é bem simples (e arrisco a dizer que você irá utilizar a primeira opção), afinal as duas opções significam:

Marcados como oportunidade: o Lead que foi alterado o estágio (manualmente ou por automação de marketing) para oportunidade.

Convertidos: aqui a diferença é que eu listo os lugares onde converteu (Landing Pages ou API) e o Lead vai pro Pipe. É incomum usar essa opção, já que alterar o estágio para oportunidade é um dos 3 principais tipos de segmentação de Leads. Mas, se você tiver outros pontos (como um SaaS e alguém chegou na feature Y aí manda para vendas), você irá usar essa opção.

Depois, no passo 3, seleciono que pode gerar um negócio (deal) no Pipe quando o RD Station mandar esse contato pro Pipedrive.

Então, você seleciona qual a etapa do Pipe é para adicionar esses contatos que vão chegar.

Existe ainda um detalhe que você poderá precisar, que é usar a opção “Adicionar Dono do Lead”. Isso significa que está dividido para vendedor X ou Y e você quer colocar em Pipelines de vendas diferentes. Aqui na Conexorama, não usamos porque nossos vendedores não têm Pipelines exclusivos (fazemos assim para ter o painel geral do processo e quantos estão em cada etapa e com quem).

E no último passo (4), você combina os campos, que significa deixar alinhado que respondeu tal no RD e vai o mesmo tal para o Pipedrive.

Vencido esses quatro passos, pronto! O RD Station está integrado com o Pipedrive. E assim você terá uma automação entre as duas ferramentas.

2 – Vantagens de ter integrado as ferramentas de Marketing e Vendas

Legal, estão integradas. Mas quais são as vantagens de ter essas ferramentas trabalhando juntas? Bom, são vários pontos, mas os principais são:

= Agilidade em retornar para Leads Oportunidades:
Quando um Lead é marcado como Oportunidade, vendas recebe rapidamente.

= Cada setor com o seu painel:
Você ter separado o que é Lead do Marketing (RD) e o que já é deal para vendas (no Pipe).

= Métricas de cada setor:
Cada ferramenta é especializada em métricas do seus setores (Marketing e Vendas), que são totalmente diferentes.

= Visão de Vendas para Marketing:
Marketing precisa saber o tanto de vendas que está conseguindo fechar, para continuar a busca de Leads Oportunidades. E, mais do que isso, quem realmente está fechando para continuar a “reengenharia” do processo de Inbound em busca desses contatos que têm perfil e fazem a compra dos serviços da sua empresa.

Sobre Leads Oportunidades, é importante ter bem claro as etapas do funil de vendas, afinal existem dois passos (estágios) que podem (devem) ir pro Pipe:

SQL – do inglês Leads Marketing Qualified Lead – que é o Lead Persona e Engajado, mas não pediu atendimento.
SAL – do inglês Sales Accepted Lead – que é o Lead Persona, engajado e que vendas topou abordar.
SQL – do inglês Sales Qualified Lead – que é o Lead Persona e pediu atendimento.

Antes de finalizarmos o nosso artigo, vamos nos aprofundar em mais dois pontos do nosso tema que são bem comuns quando estamos falando das duas ferramentas juntas.

Estou sem Lead do RD Oportunidade indo pro Pipe (automaticamente)

Aqui parece um ponto básico (pra gente que é habituado à implementação e desenvolvimento do Inbound), mas integrar as ferramentas e não sentir efeito na vida da empresa é um sentimento bem comum.

Isso acontece porque não é só integrar as ferramentas, mas primeiro você precisa ter um processo de automação para alterar o estágio de Lead para Lead Oportunidade. Se você ainda não fez essa segmentação, indico ler sobre segmentação de Leads para automação de marketing.

E pronto, os problemas estão resolvidos? Também não (e talvez nunca).

É que não adianta você criar as segmentações e integrações se não cuidar da geração o crescimento do seu funil. Em outras palavras, para que a quantidade de Oportunidades aumentem (e isso será o maior impacto no crescimento da sua empresa), o time de Marketing precisará sempre cuidar se tem crescimento em Visitantes Qualificados, em Leads, em Nutrição & Relacionamento com esse contatos, para aí aumentar a geração de Oportunidades.

É um caminho longo e repleto de atividades, mas faz parte (o empenho) para gerar o crescimento, né. 🙂

Os Leads Oportunidades que estão chegando no Pipedrive estão muito “sujos”, e agora?

E agora, a próxima dúvida é o contrário: estamos com muitos contatos chegando no Pipe (que é ótimo), mas quando a equipe de vendas vai abordar, são contatos “sujos”. Em outras palavras, são Leads que não estavam devidamente qualificados, mas que pediram atendimento.

E agora, o que fazer? Por padrão, vamos precisar do SDR, que é um cargo de alguém que liga para quem pediu atendimento (SQL) e quem poderia ser abordado por vendas (MQL).

Mas e aí, devemos marcar como Oportunidade (e ir pro Pipe) e o SDR ter um Pipeline só dele antes de passar para vendas ou não? Só devo marcar quando o SDR ligou e realmente é qualificado?

Essa não tem resposta padrão. Cada empresa faz de um jeito. Nós aqui marcamos todos como oportunidade (que a segmentação definiu) e, só então, a métrica de oportunidades reais vai ficar dentro do Pipe. É o nosso modo de fazer.

Antes de finalizar o artigo, eu me lembrei só de mais uma reclamação comum, que é adicionar o Deal direto no Pipedrive (e Marketing não ter esse e-mail, esse contato no RD). Aqui você pode ou criar uma LP para vendas adicionar ou contatos, ou usar o Zapier ou Pluga para fazer essa integração entre as APIs das duas ferramentas.

E aí, você tem usado essa duas ferramentas para Marketing e Vendas conversarem? Deixe um comentário compartilhando a sua experiência.

Você gostou do nosso artigo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Jean Vidal

Jean Vidal

CEO e Growth Hacker em Conexorama
Atuo há mais de 14 anos com Marketing Digital, tendo participado do nascimento da Resultados Digitais. Tenho experiências como Gerente de Ecommerce e participei diretamente na implantação de mais de 100 projetos de Inbound Marketing.
Jean Vidal